Igualada II - 5 Junho
Imagem satélite 6h Imagem satélite 19h
meteo_IgualadaII_sat_5UTC.jpg
meteo_IgualadaII_sat_18UTC.jpg

Como se pode observar pelas imagens de satélite, o dia não era de forma alguma próprio para realizar a prova, no entanto foi tomada a decisão de se proceder à solta. Um amigo na Catalunha tencionava ir ver a solta e escrevia-me o seguinte:

"No creo que se suelte, esta todo tapado y llueve mucho por mi casa. Espero que no suelten si es que no soltaron ya.

e quando lhe disse que já tinha soltam, respondeu o seguinte:

"Mira la animacion del radar en Catalunya desde antes de las 5:30. Yo no he asistido por el dia que hace, ya que voy en moto."

Numa área bastante extensa, a Este do local de solta, chovia muito e em boa parte do território chovia pontualmente.

Para recordar: todo o interior de Portugal estava em alerta meteorológico laranja devido à previsão de fortes trovoadas. Mesmo assim soltou-se após análise cuidada da meteorologia…, quando a própria FPC já proibiu a realização de soltas das suas Assoaciadas em dias com previsões de comparativamente menor gravidade e muito menor distância, mas desta vez deu ordem de solta…

Isto foi no dia da solta - Domingo. À noite, e segunda-feira de manhã, choveu em toda a zona entre Cáceres e Badajoz atingindo em certas zonas intensidades de 27 l/m2. Poucos seriam os pombos abrigados da intempérie nocturna, impedindo que retomassem a marcha ao raiar do dia (facto que justifica a hora tardia tardia do 1º pombo no raio dos 900km aos 1000km no dia de 2ª feira). Após a chuva levantou-se um vento muito forte que durou toda a tarde de 2ª e todo o dia de terça-feira tornando muito difícil (quase impossível) o regresso da maioria dos pombos que estavam na zona fronteiriça. Conforme se pode ver pelas imagens o aspecto dos pombos foi piorando conforme as horas e os dias passavam.

De referir que o 4º pombo aterrou numa chaminé a 20m do pombal (nunca o fez), e apenas passado 4 minutos conseguiu voar para o pombal. Tive que partir milho para conseguir que ela comesse. Calculo que estivesse na povoação há pelo menos 1 dia, mas devido ao vento não pôde voar/arrastar-se até casa. Quando o vento abrandou fez o resto do percurso de telhado em telhado. Estava muito mal, e teve muita sorte em ter escapado às patrulhas de águias de bonelli etc. Devo dizer que nunca tive pombos a regressar neste estado, e por aqui posso adivinhar o que sofreram devido às condições meteorológicas para que foram soltos.

Bem, tínhamos batido no fundo. Estes foram os sobreviventes entre os que lutaram para chegar rápido. Agora era a vez de chegarem os que jogaram à defesa com alguma sorte (os outros ou morreram dia 8 ou foram comidos). Assim chegámos ao 5º pombo que regressou em boas condições apesar dos seus 6 anos e 4 provas de 900-960km de experiência.

No final deixo aqui a fotografia dos pombos sobreviventes. Não foi fácil fotografar em dia de céu bastante nublado quando se pretende uma fotografia o mais natural possível. Os pombos regressaram sem pó algum nas penas e as carúnculas desgastadas (prova da quantidade de chuva que lhes caiu em cima). Ainda hoje parecem pombos das praças de Lisboa no que a este aspecto diz respeito :

pintinhas_Igual_2011.jpg
brigao_igual_fpc.jpg
Dia 6: 13h30m Clique para ver vídeo Dia 6: 17h13m Clique para ver vídeo
femea_tia_08.jpg
azul_irma_malhada_07.jpg
Dia 7: 15h39m Dia 8: 6h45m
azul_terrassa_05.jpg
mosqueado_08.jpg
Dia 9: 16h00m Dia 17: 9h45m
Ainda à espera do 7º pombo…

Chegou hoje o 6º pombo, cheio de alegria e muito em tratado. Infelizmente não trazia bilhete e não poderei agradecer a quem teve tão grande amabilidade.

hit counter

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License